Cataratas do Iguaçu, lado Argentino

Nosso passeio para visitar as Cataratas do lado Argentino foi de um dia inteiro, saindo do hotel pela manhã e voltando no final da tarde. Dessa vez, pagamos por um leva e traz o valor de R$ 75,00 por pessoa (mais informações no final do post), com direito a um guia local com informações durante todo o tour. Fomos recebidos em um centro de visitantes de uma excelente infraestrutura, com direito a sanitários, posto médico, lojas de souvenir e cartazes demonstrativos sobre a biodiversidade do parque. O local é um exemplo de dedicação e respeito ao turista e a natureza.

O transporte para levar os visitantes até o interior do parque é feito por trens; ao invés de uma trilha, como é realizado o passeio em Foz do Iguaçu no Brasil, na Argentina são pelo menos cinco trilhas diferentes, das quais, fizemos duas, a principal que nos leva até a queda d’água Garganta do Diabo. Antes de chegarmos à estação cataratas, recebemos as últimas orientações para com os cuidados com a saúde, respeito com os animais, (é comum encontrarmos soltos juntos aos visitantes) e também, responsabilidades com a natureza quando nos trajetos a pé pelas trilhas e isso ficou bem claro na Sendero Verde, uma pequena caminha até a estação Cataratas, onde pegamos o trem com destino a estação Garganta do Diabo. Essa viagem já paga o custo do passeio. O trem é aconchegante, seguro e todo o percurso é cortando a mata virgem, exuberante e cheia de vida, sem falar na vista que se tem das águas correntes acompanhando o barulho das rodas do trem nos trilhos. Num determinado momento, trens se cruzam e todos os passageiros se cumprimentam, tiram fotos e acenam entre si com tamanha felicidade que transforma a viagem num momento único. Vale lembrar aqui que tanto pessoas com deficiências físicas (cadeirantes) e as de Melhor Idade, têm seus direitos preferenciais respeitados, tanto nas estações quanto nos trens e nas trilhas, que são inclusive apropriadas também para cadeirantes. A partir da estação Garganta do Diabo, a pé, fizemos o trajeto de pouco mais de 1 km de extensão, andando por cima de uma gigantesca e segura passarela de aço as águas passando por baixo de nossos pés, encontro constante com borboletas, pássaros de diversas espécies, peixes etc., e no final, a gente chega ao mirante da garganta e se depara com a visão total do rio e da gigantesca queda d’água que leva o nome de Garganta do Diabo pela sua magnitude e bravura com que as águas despencam em uma altura superior a setenta metros.


De volta à estação das Cataratas, após almoçar no restaurante Fortin, parada para descanso, pois, o local é próprio para o lazer, é aconchegante e tem até lojinhas com excelente espaço verde onde as pessoas podem até tirar um cochilo pelos gramados que se espalham por baixo das árvores. Para o passeio a seguir, com um mapa guia nas mãos, recebemos as principais recomendações para seguirmos no nosso 2º passeio, chamado de Passeio Superior, uma trilha de 650 metros de extensão que está no nível superior das quedas d’águas e sem obstáculos para as pessoas de Melhor Idade e cadeirantes. Também, como no passeio anterior, nesse o grande momento foi quando chegamos ao salto Bossetti, quando se ver lá em baixo, o pessoal do passeio da trilha inferior gritando e fotografando os da trilha superior e vice versa. Foi um dos mais deslumbrantes passeios que já fizemos sobre águas e cataratas.

Dicas:

  • Não usar sapatos de saltos (não serão aceitos)
  • Respeitar animais e a natureza é prioridade máxima

Serviços:

  • Fechamos o pacote do passeio com a Loumar Turismo
  • Custo – R$ 90,00 (normal) | Pagamos – R$ 75,00 (Melhor Idade) | Valores por pessoa
  • Passeios inclui: Transfer de ida e volta + Entrada + Almoço
  • Pagamento: Cartão de Crédito
  • Restaurante Fortin: R$ 50,00 (normal) | R$ 40,00 (com guia) | Come bem e à vontade

Booking.com

Sobre

Júnior Gomes

Júnior Gomes é um cearense cabra da peste, que desde 2009 começou a mochilar e já conquistou 19 carimbadas no seu passaporte. Morou no Sul do Chile e sonha em completar os 50 países até os 50 anos. Fundou o blog para ajudar outros viajantes, priorizando dicas de como viajar muito e gastar pouco. Ao lado dos seus amores, Bel (esposa) e Kika (cadelinha), sonha em curtir um sabático pelo mundo.

2 comentários

7 jul2015
Flávio Marchesoni

Conheci exatamente os mesmos lugares descritos por esse roteiro! Inclusive as famosas “Geométricas”!

Estive em Pucon em 2012, em Julho com minha família (minha esposa em mais uma filha de 17 e um filho que lá completou 15 – o presente dele foi ver um vulcão ao vivo, o Villarica).

Foram as férias mais lindas da nossa família! Povo pra lá de hospitaleiro, visivelmente preocupados com a sua satisfação. ótimas acomodações! Lugares arrebatadores de lindos, paisagens deslumbrantes, comida muito boa e farta, vinhos “da casa” ótimos!

De Pucon até as Termas Geométricas contratamos uma van com um guia/motorista que fez questão de nos contar cada detalhes de tudo o que passávamos (e eles tem muitas histórias por lá); infelizmente fizemos esse passeio no dia anterior do nosso retorno ao Brasil, se tivéssemos feito antes tínhamos voltado! Chegamos lá com o tempo muito frio e nublado, com a garoa querendo transformar em neve.

As termas ficam em um vale íngreme e estreito, com as encostas cheias de samambaias, com muita neblina por conta das águas quentes, parecia coisa do filme Jurassic Park! Na época que fui não havia luz elétrica e, à noite tudo era iluminado com velas! (fantástico, o único porém que cartão de credito ou débito não rolava, só cash) Mas pelo que li esse problema já foi resolvido, que bom pois ficar brincando de fazer “canja brasileña” nas piscinas quentes de lá dá uma sede danada e haja água mineral pra resolver isso!

Recomendo muito e de todos os modos possíveis!

7 jul2015
Janine Sarques

Em janeiro/2015, escolhi o Chile como tema para a próxima redação “como foi minha férias”, rs!
Extremamente sem noção de como organizar e o que fazer, encontrei, nos corredores virtuais, o blog Diário de Mochileiro …. ufa, que alívio, pensei (principalmente quando liguei e o Júnior atendeu!) ! As orientações e apoio do Júnior Gomes foram fundamentais para o sucesso da minha viagem, tanto na prestatividade, quanto no compromisso e valores justos. Foram 10 dias divididos entre Santiago e Pucon e acreditem, sem nenhuma surpresa! Quer viajar (e passar frio) no estilo mochilão, chegar encontrar tudo pronto e não ter dor de cabeça? Junior Gomes é a resposta, rs! Uma dica sobre as Termas geométricas: pra entrar é mais difícil do que sair …. acreditem! Ah, e levem um lanchinho básico … pois cada trecho da viagem tem duração de +- 2h e a água quente dá uma fome danada! Junior, mais uma vez, obrigada por tudo. Abs a todos e boa viagem!

Deixe seu comentário!





*

code