Brasil – Rio de Janeiro | Voando de helicóptero na cidade maravilhosa

Não poderia passar a virada de 2011/2012 sem postar uma das maiores emoções da minha vida. Irei voltar um pouquinho no tempo para que vocês possam entender o porquê dessa história. Em out/2011 estive no Rio de Janeiro pela 12ª vez ao longo de minha vida de viajante e antes de embarcar prometi para mim mesmo que essa viagem ficaria marcada na minha vida. Como sempre gosto de desafios e o primeiro deles foi organizar a primeira viagem oficial do Diário de Mochileiro. Sim, isso mesmo! Seria a nossa primeira viagem parcialmente patrocinada e com editores do blog. Muita coisa passava pela minha cabeça, principalmente o fato dos planos não saírem como planejando. Mas o que me dava frio na espinha era a possibilidade de ver a cidade maravilhosa do alto, voando de helicóptero.

Vocês devem pensar como um cara que já fez tanta coisa doida, que coloca uma mochila nas costas e sai por ai, poderia ter “medo” de um voo de helicóptero. Bem, quero deixar claro que não era medo de voar, era uma sensação diferente, um mix de sonho de criança com quebra de paradigmas. Entenderam?! Acho que não… Tudo bem, vou deixar mais claro meus pensamentos:

  • Quando criança sempre tive admiração por tudo que voava e o helicóptero sempre foi o que me deixou mais intrigado. “Ele não tem asas, como voa?”… (A física explica!)
  • Voar de helicóptero é coisa de gente rica, empresario, milionário … (Puro preconceito!)
  • Um meio de transporte moderno, no entanto perigoso … (Perigoso é pilotar moto e eu tenho uma!)
  • O valor de um voo é fora da minha realidade de vida … (Coisa de pão duro!)
  • Poderia usar esse mesmo dinheiro para curtir outros passeios maneiros … (Nada se compara a emoção desse voo!)

Era assim que eu pensava até chegarmos no Aeródromo CEU em Jacarepaguá. Fomos de táxi saindo das proximidades do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, após um excelente almoço com os blogueiros do #EncontraoRJ. Em 30 minutos chegamos (Vanessa, Érika e Eu) juntamente com a Carol May (Blog Dicas e Roteiros de Viagem), a Cláudia Beatriz (Blog Aprendiz de Viajante) e sua família. Logo na chegada fomos carinhosamente recepcionados pelo Comandante Castanho, que com sua calma e atenção nos explicou todo o processo do voo. A Cláudia, Stephanie e a Carol foram as primeiras a curtir essa aventura. Participamos de todos os preparativos do voo, acompanhamos a decolagem e depois ficamos aguardando ansiosos a nossa hora.

As

Prontas para voar | Carol, Stephanie e Cláudia

Equipe da Botanic Tour checando tudo antes de voar

Equipe da Botanic Tour checando tudo antes de voar

O VOO

Após 30 minutos chega o grande momento. Vanessa Aguilera na frente com o piloto, Érika Marques (Blog Outros Ares) junto comigo no banco de trás e lá fomos nós! Na decolagem um lindo momento do sol se pondo, era um bom sinal do que iriamos ver pela frente. Sobrevoamos a orla do Rio de Janeiro desde a Barra da Tijuca até Ipanema. O piloto sempre conversando e explicando em detalhes todos o roteiro por onde íamos passando. Em alguns momentos a aeronave balançava um pouco por conta do vento lateral, visto que estávamos sobrevoando o mar. Deixo claro que o balanço era muito rápido, nada que comprometesse o “psicológico”  dos passageiros de primeira viagem.

Após passarmos por Ipanema, saímos do litoral no sentido da Lagoa Rodrigo de Freitas e avistamos o Cristo Redentor. Nesse momento tive a noção da nossa altura e o tanto que ainda iriamos subir. Vou confessar, deu um friozinho na barriga nessa hora. O que realmente me tranquilizava era a expertise do nosso piloto e qualidade do equipamento (helicóptero novo!).

Em poucos minutos estávamos de frente com o Cristo Redentor, simplesmente SENSACIONAL! Uma das maiores emoções que vivi. Já tinha estado no Cristo por duas vezes, mas nada se compara a emoção de ficar olhando cara a cara uma das maravilhas do mundo moderno.

A aeronave circunda todo o Cristo possibilitando que todos os passageiros possam ter as mesmas visões. Nesse momento que escrevo esse post, relembro tudo que passei naqueles poucos e eternos minutos parados de frente com o Cristo Redentor. Vou deixar as imagens falarem um pouco por mim!

Para fecharmos com chave de ouro, Deus nos presenteou com um lindo por do sol na presença Dele! Imagens que levarei  comigo por todos os meus dias.

A noite chegava e retornamos para Jacarepaguá e antes de pousar nosso piloto faz um “perguntinha danada” de ser respondida: “Vocês querem pousar com ou sem emoção?” Claro que dissemos com MUITA EMOÇÃO! Ele deixa o helicóptero “despencar” (literalmente) por alguns segundos. A gritaria foi geral e o frio na barriga é bom d+! Pousamos tranquilamente e o gostinho de missão cumprida era maior que todos nós.

Obrigado BOTANIC TOUR, pelo profissionalismo e competência na realização desse sonho!

Quem Faz

Como Chegar

  • Vai de Carro? Veja o mapa aqui: Aeródromo CEU –  http://www.clubeceu.com.br/visitante/como-chegar
  • Pegue um táxi sentido Jacarepaguá, de preferencia um credenciado, pois dependendo de onde você estive no Rio de Janeiro é um trecho um pouco longe.
  • Saímos do Jardim Botânico e pagamos R$ 65,00 até o Aeródromo CEU. O trânsito estava médio.
  • Informe-se com a Botanic Tour outras opções de transfer.

Sobre o Voo

  • Antes de voar é sempre bom não abusar das comidas para não enjoar. Se você já tem tendencia de enjoa naturalmente aconselho tomar um remedinho (Dramin) antes do voo para garantir sua integridade total.
  • Use roupas confortáveis, óculos escuros e não esqueça em hipótese alguma da sua maquina fotográfica!
  • Tá em dupla ou trio? Então melhor ainda! Assim podem fechar um voo privado e ainda organizar quem vai fotografar e quem vai filmar. Depois é só fazer o câmbio do material.
  • O tempo de voo vai depender do seu bolso, mas não aconselho menos que 30 min.
  • Escute atentamente todas as instruções do voo.

Quanto Custa

  • Isso vai depender do percurso, do tempo e quantas pessoas irão voar.
  • 30 min de voo para 3 pessoas custa em média R$ 1.100,00
  • Converse antes com a Botanic Tour e não deixe de falar que leu nosso post, isso pode te garantir um desconto.
E você, o que achou desse post? Deixe seu comentário!

 

Para mais dicas de viagem como essa, siga o Diário de Mochileiro no Twitter:

Júnior  Gomes Sobre Júnior Gomes

Júnior Gomes é analista de planejamento (Contact Center) e estudante de ADS. Mochileiro de plantão, curioso por internet, mídias sociais e pela área de turismo. Adora viajar (gastando pouco!), conhecer pessoas e culturas diferentes. Sua nova descoberta é a fotografia e sonha
com um ano sabático. Contatos: Twitter Facebook Email

Já conhece nossa página no Facebook?

Booking.com

Sobre

Júnior Gomes

Júnior Gomes é um cearense cabra da peste, que desde 2009 começou a mochilar e já conquistou 19 carimbadas no seu passaporte. Morou no Sul do Chile e sonha em completar os 50 países até os 50 anos. Fundou o blog para ajudar outros viajantes, priorizando dicas de como viajar muito e gastar pouco. Ao lado dos seus amores, Bel (esposa) e Kika (cadelinha), sonha em curtir um sabático pelo mundo.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário!





*

code