Conhecendo o Mercadão de São Paulo

Todos os anos visito São Paulo, seja a trabalho ou a lazer, dou sempre uma passadinha por lá. Faço isso a mais de 10 anos e de uns 4 anos pra cá comecei a olhar São Paulo com outros olhos. Calma, vou explicar isso melhor! Parece até piegas, mas preciso tocar no assunto novamente, sobre meu início na vida mochileira. Falo sempre que na minha vida existem dois momentos, o AM (Antes da Mochila) e o DM (Depois da Mochila). Nas viagens após a visão DM, embora a trabalho, sempre procuro trazer na bagagem experiências que possam agregar conhecimentos e que eu consiga repassar isso pra vocês.

Na minha última passada pela capital paulista, conheci um lugar bastante especial pra mim, o Mercado Municipal Paulistano. Como todo bom gordito sonhava em ir no Mercadão para comer os famosos: Sanduíche de Mortadela e Pastel de Bacalhau. Eita, só de pensar já me deu fome e água na boca! Vou contar a historinha de como tudo aconteceu e deixar dicas práticas para quem pretende conhecer esse gostoso lugar.

O CONVITE

A ideia de conhecer o Mercadão surgiu quando fui apresentar o 22º Encontro de Viajantes, onde falei sobre a Colômbia com a galera do 4 Cantos do Mundo. Nesse mesmo final de semana, eles preparam um walk tour de 2 dias pelo centro de São Paulo e o final da programação do segundo dia foi no Mercadão. Infelizmente só consegui participar do tour do 1º dia, que foi super show! O do 2º dia cheguei na melhor hora, o da comida!

COMO CHEGAR NO MERCADÃO DE SÃO PAULO

Uma das coisas que não me agrada em São Paulo é o transito. Sem brincadeira, tira toda a minha paciência! Passei por isso em pleno domingo na visita ao Mercadão. Só pra vocês terem uma ideia, para estacionar o carro a Vanessa @Aguilera13 levou mais de 1h na fila do estacionamento. Então deixo logo o meu primeiro recado, não vá de carro, mas se for saia com bastante antecedência.

Formas de chegar no Mercadão:

De Metrô

Uma das melhores opções de se locomover na capital. Pegue o metrô da linha azul (Jabaquara x Tucuruvi) e desembarque na Estação da Luz ou Estação São Bento. Caminhe até o Mercadão e aproveite para conhecer os lugares ao longo do trajeto (vide mapas).

Caminhando desde a Estação São Bento, são 600 mts (7 min)


Exibir mapa ampliado

Caminhando desde a Estação da Luz, são 1.400 mts (18 min)


Exibir mapa ampliado

Site Oficial do Metrô de São Paulo – http://www.metro.sp.gov.br/

De Carro

Como falei anteriormente, se vai de carro faça uma programação do tempo para não ter surpresas. No Mercadão existe estacionamento próprio, administrado pelo sistema Zona Azul (mais barato), no entanto a fila é gigante! Existem outros estacionamento particulares nas proximidades com preços bem salgados.

De Bike

Agora tá na moda ir de bicicleta pro Mercadão e eu sou super a favor. Primeiro por ser um transporte verde e segundo pela possibilidade de já voltar pra casa queimando as calorias do Sanduíche de Mortadela. Atualmente a administração do mercado disponibiliza 22 vagas (gratuitas) para estacionamento das magrelas. Não esqueça de levar sua corrente e/ou cadeado.

A pé

Faça como a galera do Walk Tour 4 Cantos do Mundo, vá a pé! Pegue o roteiro dos dois dias (nos links acima) e conheça as belezuras que essa região tem para oferecer. Aproveite para convidar os amigos, parentes e não esqueça da máquina fotográfica.

Importante: No Mercadão não é permitido a entrada de animais – “Portaria 1210/06, da Secretaria Municipal da Saúde, que diz respeito às boas práticas de higiene, não é permitida a entrada de animais em ambientes onde há comercialização e consumo de alimentos por apresentar riscos de contaminação.” (informação retirado do site oficial do Mercado Municipal Paulistano)

SOBRE O MERCADÃO

Visitar o Mercado Municipal Paulistano (O Mercadão), é sem dúvida um dos lugares que deve fazer parte da sua lista de desejos em São Paulo. Logo na chegada, a faixada do prédio faz você voltar no tempo, revivendo uma arquitetura dos anos 30, assinada pelo Arquiteto Francisco Ramos de Azevedo. Bem, entrou no mercado?! Olhe para o alto e ao seu redor. Aprecie os lindos vitrais do artista russo Conrado Sorgenicht Filho, um luxo! Ao todo são 32 painéis, subdivididos em 72 belíssimos vitrais.

O local é conhecido como o mais tradicional espaço gourmet da cidade e porque não dizer do Brasil. São mais de 1.500 pessoas trabalhando nos quase 300 boxes, por onde circulam mais de 350 toneladas de produtos por dia (só artigo de primeira!).

O mercadão possui um piso inferior e um superior (mezanino). Na parte inferior ficam concentrados os boxes de produtos diversos e também gourmet. Na parte superior a exclusividade é para o Espaço Gourmet, onde você vai saborear as delicias desse lugar.

Clique e Veja aqui o mapa do Mercadão

ONDE COMER O FAMOSO SANDUÍCHE DE MORTADELA

Era domingo, o dia de maior movimento nos restaurantes. Chegamos por volta do meio dia, após 1h de fila no estacionamento. Subimos e o Espaço Gourmet já estava lotado. O jeito foi aguardar, visto que precisávamos de uns 15 lugares.

Optamos pelo Mortadela Brasil, um dos tradicionais restaurantes, com mais de 50 anos no mercado servindo os deliciosos sanduíches de mortadela. Pedi o premiado da casa – BRAZUCA, ganhador do prêmio gastronômico de 2006. O sanduba custa R$ 17,00 e vale cada centavo investido.

Clique e Veja aqui o cardápio do Mortadela Brasil

Outra iguaria da minha lista do mercado era o pastel de bacalhau, mas como não consegui com quem dividir, resolvi provar um pedacinho dos amigos. Gente, o sabor é… Surreal! (custa R$ 12,00). Então, se vai com os amigos ou sua dupla, pede um de cada que você vai sair bem satisfeito. Ah, não esquece do Choppinho gelado!

ECONOMIZE AINDA MAIS EM SÃO PAULO

Vou deixar mais algumas dicas de mochileiro para São Paulo.

Aeroportos – Procure trechos aéreos com desembarque em Congonhas, pois o mesmo fica dentro da cidade de São Paulo, facilitando sua locomoção até seu destino final. Caso não consigo e desembarcou no Aeroporto de Guarulhos, sem problemas! Guarde o seu ticket de embarque e siga grátis de bus até o Aeroporto de Congonhas. Procure esse transporte na parte de fora do desembarque. A GOL e a TAM fazem essa cortesia.

Veja também as dicas do Blog Esse Mundo é Nosso

Transportes – Como toda cidade grande, São Paulo sofre com constantes congestionamento, então o melhor é pensar em organizar seu roteiro fora dos horários de rush (pico) na manhã entre as 7h-9h e a tarde entre 17h-19h. O metrô é uma excelente opção, o custo é baixo e a malha atende os principais pontos da cidade. Em segundo plano os ônibus, atendendo pontos mais distantes, fora ou dentro das rotas do metrô e por último os táxis, bem caros por sinal. Mas na boa, o melhor mesmo é procurar uma hospedagem próxima dos seus objetivos, assim você evita os transportes coletivos e aproveita mais as belezas que São Paulo te oferece.

Sites Oficiais do Transporte Público de São Paulo

Hospedagem – Esse deve ser o ponto mais importante do seu roteiro. Como bom mochileiro, gosto de economizar e na hora de escolher aonde ficar, dedico um pouco mais de tempo pra esse quesito. Em geral eu fico em hostel, pois curto muito a vibe desses lugares, pago um preço justo, conheço muita gente e sempre arranjo bons novos amigos para dividir as cervejas. Gosto de quartos com até 6 pessoas, mas já cheguei a dormir uma vez em um de 20. Nas minhas viagens pela América do Sul, utilizei os serviços de alguns site de reservas de hospedagens e dentre eles o que mais me surpreendeu foi o HostelBookers. Em São Paulo eles possuem bons parceiros de hospedagens, com bons preços, boas referências e localização. Veja alguns destaques:

Booking.com

Sobre

Yochabel Fragoso

Paraibana de Campina Grande, que tem o coração na literatura hispano-americana e que encontrou no mundo de call center sua nova inspiração. Dona do coração do Júnior Gomes, que decidiu deixar o "salto alto" de lado e colocar a mochila nas costas para conhecer um novo mundo.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário!





*

code